Toda realidade um dia foi “UM GRANDE SONHO”…!!!

Correr é um vício. Corridas de montanha é uma paixão. É muito difícil para os corredores de rua (asfalto) compreenderem como é possível alguém gostar de uma corrida cheia de obstáculos, irregularidades do terreno e na qual muitas vezes não é possível desenvolver um bom pace, ou manter um pace constate. Entretanto, a corrida de montanha é muito mais do que isso… é preciso técnica para descer morros, dunas, pular entre galhos e arbustos, correr na água, pular riachos, pular buracos, etc…e a cada km conquistado a natureza lhe presenteia com uma paisagem. Na montanha eu consigo correr por horas sem sentir o cansaço ou o tédio, pois a paisagem me abstrai.
Essa paixão conquistou também meu marido, Marcos Miranda, e nos levou a fazer e ter uma das maiores experiências de nossas vidas: correr nas cordilheiras dos Andes.
Entre os dia 07/02 e 09/02/2013 eu e Marcos participamos, na modalidade dupla mista, e completamos a 12a etapa do El Cruce Columbia. Uma prova de 3 dias, 100% endurance nos Andes, entre Chile e Argentina. Este ano a corrida contemplou 101 km contornando os vulcões VILLARICA, QUETRUPILLÁN e por último o vulcão LANÍN.

Inline image 1

Foi uma experiência fantástica, uma oportunidade de testar nossos limites e habilidades, subir e descer montanhas e MONTANHAS, correr em desertos de areia, desertos de pedras, matas, trilhas madeireiras,…, os mais variados tipos de terreno e vegetação.  E a cada KM lá estava a natureza a nos presentear com suas paisagens majestosas e os vulcões imponentes…
Uma prova de endurance acima de tudo. Exigindo excelente condicionamento físico e mental, grande sintonia entre os parceiros da equipe e equilíbrio emocional e capacidade de se adaptar a imprevistos, requisito esse apontado pelo organizador do evento como fundamental na primeira palestra técnica.
Foram 14 semanas de treinamento focados nesta prova, com planilha preparada por Rafael Leitão (ZonaAlvo) e o trabalho de musculação com o Tim Santos (Personal Trainer). Independentemente de imprevistos durante o treinamento, terminamos em 282o. no geral (dentre cerca de 700 duplas), 16o. na nossa categoria (dupla mista com idade total entre 80 e 100 anos)… super legal para 2 estreantes do Cruce!!!
Se foi bom? Foi show! Se valeu a pena? 100%! Se faremos de novo? Com certeza! Para provar que conseguimos fazer melhor e atingir um outro limite físico e mental. Com essa prova aprendemos a confrontar dificuldades e limitações do nosso corpo e agora sabemos que ainda há aquele extra para extrair dele.
Nosso eterno agradecimento por todo trabalho realizado.
Simone e Marcos
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: